quarta-feira, 10 de setembro de 2014

A troca de ascendente

. . Por Hugo Ciavatta, com 0 comentários



Ano passado, completei anos na casa dos meus pais, e na manhã do mesmo dia de meu aniversário, então, sra. minha mãe veio toda toda puxando papo:

- Nossa, e pensar que uma hora dessas anos atrás você resolveu nascer.
- Ah é, é? - tão interessado que nem virei a cadeira.
- É ... é... - quase pedindo um pouco de atenção -, era uma quinta-feira, seu pai tinha saído mais tarde porque ia ao dentista e logo depois que ele saiu a bolsa se rompeu. Quer dizer, não sabia direito, liguei pra dra. Leila - pediatra, obstetra, ou coisa parecida - e aí ela pediu pra que eu fosse pra lá.
- Como assim, rompeu a bolsa e você pegou o carro pra ir até o consultório, mãe?
- E você queria que eu fizesse o quê? Ligasse no celular do seu pai? Se nem hoje ele atende aquilo, imagina quando sequer existia isso.
- ¬¬
- Assim que cheguei lá ela disse que não tinha o que fazer, a bolsa tinha mesmo rompido, já tínhamos entrado no oitavo mês, esperávamos você só no início do ano, mas naquele momento era internar que você ia nascer. Peguei o carro novamente e fui pro hospital.
- Como assim, mãe - à beira de um colapso nervoso - você estava no consultório, por que foi dirigindo?
- Ué, não tinha por que falar nada, não precisava, eu estava bem, não estava sentindo nada.
- Ah é - já possesso -, a bolsa rompe e você resolve dar um rolê pelas ruas, curtir um trânsito no calor de dezembro nessa cidade?? Isso explica muita coisa! - provocando - Deus do céu, como eu sofri!
- ¬¬ tsc, quando cheguei no hospital, aquela coisa, soro, eu não tinha contração, então me deram algo para provocar isso. Era umas 10h, consegui avisar sua tia, pedi pra ligar pro seu pai. Mas demorou muito, primeiro teu pai e eu estávamos casados há onze anos e nada d'eu engravidar. Depois, um belo dia, tadan, eu estava grávida de quatro meses. Não contente com isso, quatro meses após a notícia, você resolveu nascer, quer dizer, começou, mas em seguida não queria sair mais, levou a manhã inteira pra isso: tá louco, moleque complicado!
- ¬¬
- Quando foi lá pro meio dia, perto do meio dia e meia, você finalmente nasceu.
- Como assim, perto do meio dia, não era três, quatro da tarde?
- Não, não, cruzes, foi na hora do almoço, eu não aguentava mais.
- Putz, eu achava que tinha sido umas 15h30... então não tenho ascendente em áries, tsc.
- ¬¬


0 palpites:

    • + Lidos
    • Cardápio
    • Antigos